Gastos com publicidade no Brasil crescem 1% no 1º semestre

Os gastos com publicidade no país somaram R$ 60,7 bilhões no 1º semestre de 2016, uma alta de 1% em relação ao registrado nos seis primeiros meses de 2015, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (28) pelo Ibope Media, a partir de pesquisa regular de monitoramento dos investimentos nos principais meios de comunicação e mercados do país.

De acordo com o Ibope, o crescimento pequeno é “reflexo do atual cenário econômico do Brasil”.

O resultado, no entanto, ficou acima das expectativas se comparado com a projeção do Produto Interno Bruto (PIB) para 2016, que é de 3,3% de decréscimo, segundo o Banco Central.

“Ainda que os dados não apresentem crescimento, já começamos a notar sinais de retomada, com indícios de uma tendência ascendente no volume de compra de espaço publicitário a partir de março”, explica Rita Romero, diretora executiva do Monitor.

Maiores anunciantes
Os líderes do ranking do primeiro semestre de 2015 se mantiveram entre as primeiras posições no mesmo período deste ano. O investimento feito por eles, no entanto, recuou.

Durante o 1º semestre de 2016, o laboratório mexicano Genomma (do segmento de Higiene Pessoal, Beleza e Farmacêutica) foi o maior anunciante do país, acumulando R$ 1,94 bilhões de investimentos em mídia, uma alta de 8,54% em relação ao ano anterior – quando também ocupou a primeira posição no ranking.

A Unilever, que ocupava a terceira posição em 2015, ultrapassou a ViaVarejo, e voltou ao segundo lugar, com investimento de R$ 1,63 bilhão em mídia, uma queda de 16% em relação ao ano anterior.

Já a ViaVarejo reduziu em 25% seu investimento, para R$ 1,58 bilhão, ante R$ 2,11 bilhão nos seis primeiros meses do ano passado. Na quarta posição, a Caixa investiu R$ 831 milhões – 11% menos que em 2015, quando apareceu em quinto lugar no ranking.

Completam o top 10 de maiores anunciantes: Procter e Gamble, Hypermarcas, Ambev, General Motors, Trivago e Telefonica.

No ranking de setores, Comércio e Varejo segue na liderança, representando 18,8% dos investimentos destinados em mídia (R$ 11,4 bilhões). Em seguida, aparece o setor de Serviços ao Consumidor, com R$ 6,9 bilhões e o de Higiene Pessoal e Beleza, com R$ 6,16 bilhões.

Ranking dos maiores anunciantes no 1º semestre de 2016 (Foto: Reprodução/Kantar Ibope Media)
Ranking dos maiores anunciantes no 1º semestre de 2016 (Foto: Reprodução/Kantar Ibope Media)

Meios
Entre os meios monitorados, a TV aberta segue com a maior fatia do bolo publicitário, com R$ 33,7 bilhões. Somados os investimentos destinados ao merchandising, o meio obteve 61,3% de participação no total investido no período, seguido por TV por assinatura (11,8%) e jornal (11,5%).

Os investimentos em formatos display na internet alcançaram 4,2% de participação do total em mídia destinado pelas agências e anunciantes, ante 7,4% em 2015.

Praças
No ranking dos maiores mercados do país, São Paulo continua na liderança, absorvendo 23,8% da verba total. Rio de Janeiro (9,8%), Belo Horizonte (4%), Porto Alegre (3,3%) e Curitiba (2,4%) completam a lista dos cinco maiores mercados em volume de investimento publicitário.

Agências
No ranking das agências, a YR manteve a primeira posição, intermediando o equivalente a R$ 3 bilhões em mídia no primeiro semestre. Em seguida, aparece a Almap BBDO, com R$ 1,74 bilhão, e a WMCann, com R$ 1,72 bilhão.

Fonte: http://g1.globo.com

Compartilhe